FARMAIS DE DRACENA

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

PAPA BENTO XVI REALIZA ÚLTIMA AUDIÊNCIA PÚBLICA

O Papa Bento XVI confessou nesta quarta-feira que nos últimos oito anos viveu dias agitados, mas incentivou milhares de fiéis, reunidos na Praça de São Pedro para ouvir sua última mensagem como pontífice, a confiar em uma Igreja "viva", que Deus não deixará afundar. O Papa escolheu para a ocasião histórica mencionar os Evangelhos e garantiu que é "consciente da gravidade e da novidade" de sua renúncia, a primeira de um Papa em sete séculos. Bento XVI, de 85 anos, afirmou que se sentiu como São Pedro com os apóstolos na barca no lago da Galileia. "Mas eu sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas é Sua e ele não a deixa afundar", disse. Às vésperas da renúncia histórica, Bento XVI foi aclamado por uma multidão calorosa nesta quarta-feira. Ao longo de uma despedida emocionante, ele insistiu que "Deus não deixa afundar o barco" da Igreja. Diante de quase 150.000 pessoas que aplaudiam e seguravam bandeiras de diversos países e cartazes com a palavra "obrigado" em todas as línguas, Joseph Ratzinger citou "as águas agitadas" de seus oito anos de pontificado. Por ocasião de sua última audiência pública, ele também expressou confiança na Igreja e nos fiéis que encontrou nos cinco continentes, a quem agradeceu em diversas línguas, do português ao árabe, do italiano ao polonês. "Estou muito comovido e vejo a Igreja cheia de vida", disse várias vezes, em resposta às aclamações da multidão que gritava seu nome em italiano, "Benedetto, Benedetto!" O Papa falou sobre a decisão de renunciar, que nem sempre foi bem compreendida, até mesmo por católicos. "Amar a Igreja significa também ter coragem de fazer escolhas difíceis", disse. "Eu não vou voltar à vida privada, a uma vida de viagens, de encontros, de recepções, de conferências, etc...Eu não abandono a cruz, mas fico de uma nova forma perto do Senhor crucificado. Eu não assumo mais o poder da responsabilidade do governo da igreja, mas continuo no serviço da prece. São Bento (fundador da grande ordem contemplativa dos beneditinos), cujo nome eu trago como papa, me trará um grande exemplo", disse. Na quinta-feira, Joseph Ratzinger deixará o Vaticano, sem cerimônia, para se retirar sob o título de "Sua Santidade Bento XVI, papa emérito", e seguirá para a residência de verão de Castelgandolfo. Depois ele deve ficar em um mosteiro, longe dos olhos do mundo, na colina do Vaticano. Com uma simplicidade correspondente a seu temperamento, o papa encerra suas funções na quinta-feira às 16h00 de Brasília. Nenhuma cerimônia foi prevista. Informações do site http://www.swissinfo.ch. Fotos AFP e Ansa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANÔNIMO COVARDE AQUI NÃO TEM VEZ.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.